Banalização da TV pública

O sensacionalismo e a espetacularização da notícia são duas formas rentáveis muito utilizadas pelas empresas de comunicação para alcançar o lucro. Esses termos são explicados claramente no livro “A TV sob Controle: A resposta da sociedade ao poder da televisão”, de Laurindo Lalo Leal Filho.

O maior objetivo da mídia sensacionalista é obter o lucro e, por isso, não mede esforços para conseguir histórias chocantes. Leal Filho explica que o sensacionalismo dentro do Jornalismo surgiu como fator importante para que houvesse uma valorização da emoção e exploração da tragédia, sendo que já está enraizada nas TVs públicas brasileiras.

Vemos muitos destes programas policiais diariamente, aos finais de tarde, com formatos parecidos, onde toda a equipe de produção se preocupa em abordar e reprisar ao máximo cenas fortes, tudo para conquistar audiência.

O autor cita, para expressar seu pensamento, um acidente envolvendo um homem, onde equipes de bombeiros tentavam reanimá-lo, sendo que a mídia explorou a imagem de forma exagerada, tudo para mostrar ao público e assim conseguir o primeiro lugar no ibope.

Para a indignação do autor, tudo foi transmitido ao vivo, sem respeitar os familiares deste rapaz, que poderiam estar assistindo ao programa. Fica evidenciado que a TV, sem dúvida, se utiliza da estética da violência, ou seja, transforma a notícia trágica em pauta frequente no jornalismo.

Outro recurso também usado pelas mídias é a espetacularização da notícia, comumente aproveitado para conquistar anunciantes para os programas. Com isso, o Jornalismo deixa de ser objetivo, tornando-se um simples entretenimento, como forma de atrair a atenção do público ao seu conteúdo e mais uma vez conquistar a audiência.

O Big Brother e demais reality shows são tipos de programas que exploram a imagem de pessoas anônimas ou não, para reproduzir um espetáculo. A maior briga do autor é na questão de o público se tornar alienado a estes tipos de “diversões”, pois acabam assistindo por não terem opções de escolha, já que as emissoras encaram tais formatos cada vez mais para conquistar o lucro.

Porém, Leal Filho apresenta formas para combater o sensacionalismo e a espetacularização: assistir a TVs educativas, como exemplo, a TV Cultura e a TVE, além de outros canais disponíveis em TV a cabo. Elas não possuem caráter lucrativo e trazem programações de conteúdo, com conhecimento e educação.

O próprio autor relata sua decepção por não existirem programas que resultem em cultura e socialização do telespectador nas TVs comerciais. E ainda completa dizendo que só haverá mudanças se o próprio público não aceitar certos tipos de programas.

Mas o grave problema é que as TVs já conseguiram o domínio sob as massas (público), e dificilmente haverá mudanças na grade de programação de nossos canais de televisão. Ao contrário, cada vez mais, novos realitys shows surgem, e o próximo que poderemos acompanhar nos demais meses é A Fazenda, da Rede Record. Que tipo de enriquecimento cultural este tipo de programa trará para o nosso conhecimento? Quantas banalizações ainda seremos obrigados a assistir?

3 comentários. Deixe o seu clicando aqui!:

Raphael Medeiros disse...

Para falar a verdade, detesto....
esses programas que ficam expondo pessoas e forçando as mesmas a simularem situações de raiva e outros sentimentos...
Este reality show "A FAZENDA" é prova disto, uma cópia idêntica do BBB porém, já começou com brigas, armações e xingamentos.....
O Programa tinha tudo para ser um excelente programa, que tinha como base mostrar a vida no campo....quem assistiu o 1 dia do programa, viu que os "famosos" fizeram uma oração e tudo mais !
Mais parece que não fez muito efeito.....as brigas começaram, os xingamentos tbém...uma baixaria sem tamanho !!

Álvaro Lopes disse...

Assistam "Videodrome" de David Cronenberg, "$laSher$" e "O Sobreviente", todos esses filmes falam do poder da televisão sobre as pessoas e tem tudo a ver com o que o Rafa falou no seu texto!!!

GUGA´s disse...

hahhaa
que otimo
por mim
BLOQUEIE A TLEVISAO!!!
TODOS OS CANAIS
detest tv ¬¬ nao tem mais nada de legal x.x